Boa vizinhança em 15 regras

Barulho

Barulho

1- Desde janeiro de 2003, está em vigor o Novo Código Civil (Lei 10.406, de 10 de janeiro de 2002). O artigo 1.337, por exemplo, determina que comportamento antissocial pode acarretar multa de até cinco vezes o valor da cota condominial. A reiteração do ato pode resultar em punição de até 10 vezes

2- Os problemas nos condomínios têm como raiz a invasão do espaço alheio e a falta de diálogo e bom humor. Deve haver uma relação de respeito entre os vizinhos.

3- Todo edifício está submetido a regras expressas na convenção de condomínio e no regulamento interno. Esse último detalha o funcionamento do condomínio, com suas normas internas, criando critérios para uso de garagem, reuniões de assembleia e utilização das áreas de lazer.

4- É preciso dialogar, falar com o vizinho. Se não der certo, pode-se pedir ajuda ao síndico ou ao zelador. Somente uma última instância deve-se levar problemas à Justiça. Isso serve para casos que vão além da responsabilidade do condômino, como roubos e assédio.

5- Dar “bom dia!”, segurar a porta do elevador e ser educado com os funcionários do prédio tornam as pessoas mais felizes.

6- Embelezar o ambiente incentiva as pessoas a preservarem o que é de todos. Além, é claro, de valorizar o preço do imóvel.

7- Há que se preparar o funcionário do condomínio, que é quem dialoga com todos os moradores, e evitar qualquer rede de fofocas.

Seu cão

Seu cão

8- Num condomínio, alguns problemas mais comuns começam com a letra “c”. Por isso, é bom ficar atento aos itens: cano, cachorro, carro, criança e cobertura.

9- Não se pode ignorar a limitação do direito de propriedade, em favor da coletividade. A exibição de nudez constante deve ser evitada com janelas ou cortinas. O vizinho incomodado pode reclamar, inclusive judicialmente.

10- Dentro de casa, evitar andar com sapatos de salto alto, arrastar móveis, derrubar coisas ou deixar as crianças jogar bola. Nas festas, o volume do som deve ser abaixado depois das 22h, sob pena de pagamento de multa.

11- Há que se estacionar dentro dos limites da vaga de garagem, sem invadir a área vizinha.

12- É um absurdo, mais ainda há quem jogue lixo e objetos pela janela. Não se trata apenas de desrespeito às regras de boa convivência. Há o risco de atingir- e ferir- quem passa. Na reunião de condomínio, devem-se sugerir multas para esses moradores.

13- Reciclagem: além de reduzir o manuseio de lixo pelos funcionários, dá para ganhar dinheiro e reverter os lucros para benefício de empregados e moradores.

14- Não é incomum encontrar jovens usando drogas nos condomínios. O primeiro passo é o síndico conversar com a família do envolvido. Aumentar a iluminação dos espaços e instalar câmeras podem ser inibidores. Se isso não funcionar, o assunto pode se tornar objeto de registro policial.

15- Se os latidos do cachorro estiverem incomodando, o dono do animal precisa controlar a situação, evitando conflitos com os vizinhos. As descer com o animal para passear, o dono deve leva-lo no colo até a rua e utilizar o elevador de serviço. Outra medida a se tomar é levar sacos de lixo para apanhar as necessidades dos bichinhos. Cachorros de raça consideradas perigosas podem se tornar um problema. Por isso, esses animais devem estar sempre com coleira e focinheiras. Deve-se evitar contato com as pessoas em elevadores e nas áreas aonde há crianças e animais de porte menor.

Sugestão enviada pelo morador Pedro Paulo Duarte – 409/1